Cabo Polonio – Uruguai 🇺🇾

Cabo Polonio

Como vocês podem acompanhar nos posts anteriores, programei a road trip pelo Uruguai e inclui nela vários pontos turísticos que pesquisei na internet mas durante a viagem um deles me surpreendeu muito e acabei querendo falar somente dele aqui.

Cabo Polonio superou minhas expectativas. Inicialmente eu pensei que fosse apenas um lugar a mais pra passar e seguir adiante. Depois pensei até em não ir lá dado a alguns amigos que fizeram o mesmo passeio e não foram.

Como estava na programação, resolvi ir e foi uma excelente experiência. Já adianto que vale muito a pena reservar no mínimo um dia para visitar Cabo Polonio. Para aqueles que são mais aventureiros, uma noite por lá é bem vinda e explico porquê ser aventureiro mais à frente. 

Cabo Polonio é um parque e fica a 98 km do Chuí, mais ou menos 1h 20 min de carro. Depois de Pelotas me hospedei em La Paloma por que tinha pesquisado Cabo Polonio e só tinha achado Hostel mas confesso que entre o hotel que fiquei em La Paloma e algum lugar em Cabo Polonio, dava no mesmo ou Polonio até ganhava.

Como chegar em Cabo Polonio

De carro siga pela rota 9 (o Google Maps é ótimo, nem se estresse) até a entrada do Parque. Lá tem estacionamento ao custo de 190 Pesos Uruguaio que você paga na saída. Quando fui o peso Uruguaio valia aproximadamente 1 para 8, ou seja, 1 real = 8 pesos Uruguaios. 

Chegando lá dirija-se ao guichê para comprar a entrada. Custa 250 pesos uruguaios por pessoa. Você receberá um ticket com duas partes, uma é para embarcar na jardineira na ida e outra na volta. Não perca!

Visitando as praias de Cabo Polonio

Após uns 30 minutos sacolejando na jardineira apertadinha você chega a um lugar muito lindo que é a ponta do Cabo Polonio. Por lá é tudo no estilo hippie, pequenas casas de madeira colorida, um monte de hostel e varias pessoas vendendo miçangas.


O transporte para as praias de cabo Polonio

Os horários das Jardineiras são fixos. Na dúvida visitem este site e vejam o melhor horário para chegar e sair e evite perder tempo de passeio. Eu mesmo esperei uns 25 minutos que poderia estar andando ou fotografando ainda.

A água da praia é gelada mas dependendo da época que for, tipo indo no verão, da pra tomar banho tranquilo. Existe uma praia maior por onde a jardineira passa, uma outra praticamente inabitada e a principal onde ficam os restaurantes e pousadas.

Se você é daqueles que gosta de ficar na praia pegando sol e curtindo um relax, sugiro levar guarda sol e canga, pois lá não tem. Sugiro também levar mantimentos porque as cosias são muito caras. Se gosta de uma cervejinha, prepara R$ 25,00 para uma Corona pequena.

Não deixem de assistir os vídeos no YouTube

As praias são boas e mansas. Não há ondas gigantescas e nem é funda tipo aquelas praias que você entra e cai em um abismo. Pode aproveitar bastante a beira da água principalmente se for com criança. Recomendo muito protetor solar também, lembrando que não há muita estrutura nessas praias.

Praia de Cabo Polonio

Onde se hospedar em Cabo Polonio

Eu pesquisei bastante e encontrei muito Hostel. Desses vocês encontrarão vários mas fiquem sabendo que como a maconha lá é liberada e o estilo é hippie total, talvez não seja seu estilo e não seja legal ficar lá. Há também a possibilidade de alugar uma das casinhas que tem por lá.

Quando estava andando pela praia encontrei uma pousada que parecia super bacana. O nome é Pousada Carmela. Não fiquei hospedado lá mas com certeza ficaria se fosse ter uma noite em Cabo Polonio. Veja a foto da entrada abaixo.

Pousada Carmela - Cabo Polonio - Uruguai

Onde comer

Existem vários pequenos restaurantes pelas vielas da praça central. Não se espante com o estilo dos restaurantes, eles são tipo casinhas pequenas mas é o estilo. Não espere nada grandioso mas é tudo bem bacana. É interessante andar um pouco antes de escolher.

Eu vi algumas indicações na internet mas acabei almoçando em um em frente a praia mesmo. O valor é caro se compararmos com o local mas tudo no Uruguai é caro. Paguei R$ 70,00 em um peixe que estava muito bom. Existem também alguns restaurantes das pousadas que são acessíveis aos visitantes.

O farol

Outro lugar legal para conhecer em Cabo Polonio é o farol. É em volta do Farol que vocês conseguem ver os leões marinho. Existem muitos naquela área mas eles ficam um pouco distantes. Quem tiver uma máquina fotográfica com lente para captar imagens mais distantes terá excelentes fotos.

O Farol possui 27 metros de altura e foi construído em 1881. É possível subir no Farol ao custo bem pequenininho mas não sei porque motivo, quando fui ele estava fechado. Funciona das 08 as 13 e depois das 15 até o pôr do sol, pelo menos deveria né.

Em Cabo Polonio há internet e o telefone funciona perfeitamente. Pode usar cartão de crédito tranquilo. A bandeira mais utilizada é Visa mas de qualquer maneira não deixe de levar dinheiro. Eles aceitam reais e dólar também e a conversão varia muito de estabelecimento para estabelecimento.

Paguei o ingresso em reais e o câmbio foi de 1 real para 7,5 pesos uruguaios, foi muito baixo então sugiro fazer câmbio e pagar em pesos uruguaios mesmo. Só para ter uma ideia eu almocei em um lugar super bacana que será um outro post e o câmbio foi de 1 real para 8,5 pesos uruguaios. Eles não aceitam pagamento em cartão para entrar no Parque.

Mais informações vocês encontram no site oficial de Cabo Polonio neste endereço: https://www.portaldelcabo.com.uy/pt

Nos vemos por ai…

Road Trip Uruguai – Chuí, Santa Teresa e Punta del Diablo

Primeiro dia Road Trip Uruguai

O primeiro dia da road trip foi aquele deslocamento de Santa Maria para Porto Alegre e depois Pelotas. Foram 550km bem tranquilos. A estrada não é das melhores mas depois que sai de Porto Alegre ela fica boa.

Chegamos em Pelotas no fim da tarde. Não deu tempo de passear porque as coisas fecham cedo. Nos hospedamos no Hotel Curi o qual recomendo. Limpo, preço justo, café da manhã satisfatório e muito bem localizado. O estacionamento é ao lado, porém pago, custou R$ 20,00.

Segundo dia Road Trip Uruguai

No segundo dia acordamos, tomamos café no Hotel Curi e seguimos para o Chuí. Após 260km por uma estrada bem boa, chegamos ao Chuí. Passeamos pelos free shop e almoçamos em um restaurante no lado brasileiro.

Se você não sabe, a fronteira é dada por um canteiro. Na rua, de um lado é o Brasil e do outro é o Uruguai. O telefone funciona naquela área normalmente. Na verdade funcionou até uns km dentro do Uruguai e olha que uso TIM.

Imigração para o Uruguai

Chegando à fronteira passamos pela Receita Federal e pela Polícia Federal mas não paramos. Fizemos a imigração apenas no lado do Uruguai, uns 3km após o free shop.

Chegando à imigração que parece uma rodoviária velha, estacione o carro e vá até o guichê. É até engraçado, as instalações são simples naquele estilo de filmes latinos. Após apresentar o passaporte, retorne ao carro e passe direto pela “rodoviária”.

É necessário ter a carta verde para poder dirigir pelos países do Mercosul mas na imigração ninguém me pediu. Eu já tinha providenciado a carta verde antes então, não se esqueça de pedir ao seu corretor. Se esquecer, há locais que emitem como o posto Shell ainda no lado brasileiro.

Santa Teresa

Saindo do Chuí fomos par ao Parque Santa Teresa. Lá visitamos a Fortaleza Santa Teresa. A entrada ao Parque é gratuita mas se quiser visitar o Museu Militar que é a Fortaleza, terá que pagar R$ 6,00 por pessoa.

Fortaleza Santa Teresa

Tirei algumas fotos legais (confiram no Instagram) e fiz filmagens com o drone (confiram no YouTube). Só alertando que não pode filmar com o drone na Fortaleza. Como eu sei disso? Eu decolei o meu e tomei um esporro 😂, mas as imagens ficaram.

Vejam todo o roteiro da Road Trip pelo Uruguai

Playa de la Moza

Depois da Fortaleza desci para a Plaza De La Moza. No caminho até lá você poderá ver uma enorme área de camping com uma infraestrutura boa para quem quer acampar ou ir de motohome. É bem legal.

Chegando à Praia, dei uma volta e depois resolvi decolar o drone novamente uma vez que já não estava em área militar. A praia é bem extensa e bonita. Tem uma área mais movimentada e outra mais deserta. Não espere água morna.

Chip Uruguaio para celular

O Parque Santa Teresa tem um quiosque da Antel que é a operadora de telefonia no Uruguai. Eles fornecem wi fi gratuito para quem está acampado. Aproveitei e comprei um chip para não ficar sem comunicação.

O chip custou 65 pesos uruguaios mais 140 de crédito. Comprei no cartão de crédito mas para isso não há isenção do imposto chamado IVA. Fiquem atentos a isto, se possível paguem em dinheiro.

Punta Del Diablo

Punta del diablo

Saindo de Santa Teresa fomos para Punta Del Diablo. Fica ali pertinho, apenas 13km do Parque Santa Teresa. Não sei se já comentei mas a estrada é um tapete, zero buracos e bem sinalizada.

Punta Del Diablo é uma cidadezinha bem estilo hippie. As ruas são de chão batido sem asfalto. Os chalés são de madeira e pintados de cores diferentes. Quase não se vê hotéis, apenas Hostel e chalés e casas para alugar.

A praia é bem grande também e tem guarda vidas para segurança da galera. À beira mar parece uma cidade dos anos 60, muita coisa de madeira. Definitivamente é um lugar muito legal porém sem luxo ou glamour. Lembrando que no verão dá pra ficar na praia até 21:00h.

La Paloma

Depois de rodar o dia todo, fotografar, conhecer lugares, filmar com drone, tomar esporro do soldado (não necessariamente nesta ordem), pegamos a estrada para La Paloma onde foi o pernoite.

La Paloma fica a 107km de Punta Del Diablo. A estrada é maravilhosa até lá mas pode dentro de La Paloma é do mesmo jeito que as demais, ou seja, chão batido. Algumas ruas tem calçamento de pedras.

Quase não encontrei hotel em La Paloma, a maioria é Hostel. Ficamos no Yureti Hotel mas de bom não tinha muita coisa. O Banheiro tinha um cheiro ruim mas depois de dois banhos, ele melhorou. As camas eram simples e o ar condicionado funcionava – Glória a Deuxxxx.

Resolvemos sair para jantar e em La Paloma tem a rua do centro da cidade com vários restaurantes e bares. Quando forem por lá, antes de escolherem onde jantar, passeiem pela rua toda para verem as opções. Na hora de pagar a conta não se esqueça de conferir o desconto do IVA.

Depois disso tudo, hora de dormir para aproveitar o terceiro dia… acompanhem no próximo post.

Road Trip pelo Uruguai

Uma road trip é uma ótima oportunidade de explorar com mais detalhes vários lugares diferentes. Quando viajamos de avião, geralmente chegamos e saímos pelo mesmo aeroporto, alugamos carro, fazemos passeios mas acaba que não tem como ir muito distante porque tem que voltar.

Já fiz algumas road trip bem legais mas não relatei aqui. Uma delas foi pela Itália, saindo de Roma, passando pela Costa Amalfitana, descendo até a Sicilia e finalizando em Malta. Foi muito boa e vou relatar essa aqui depois.

Roteiro da Road Trip pelo Uruguai

Desta vez a road trip terá duração de 8 dias e será de Santa Maria no Rio Grande do Sul até o Uruguai conforme o mapa e o roteiro abaixo.

Road Trip Uruguai

Primeiro Dia 

  • Saída de Santa Maria até Porto Alegre para pegar minha filha no aeroporto e depois seguir até Pelotas onde pernoitaremos;
  • Distância Santa Maria até Porto Alegre – 290 km
  • Distância Porto Alegre até Pelotas – 260 km.

Segundo Dia

  • Saída de Pelotas para Chuí – Visitar Free Shop – 260 km;
  • Sai do Chuí e passa no Forte de Santa Tereza – 33,7 km;
  • Fortaleza de Santa Tereza visitar
  • Praya de la Moza;
  • Depois segue pra Punta Del Diablo  – 12,8km
  • Segue para La Paloma – 108km;
  • Pernoitar em La Paloma.

Acompanhem as fotos no Instagram e os vídeos no YouTube!


Terceiro Dia

  • Sai de La Paloma para Cabo Polonio – 49,6km;
  • Segue de Cabo Polonio para Punta Del Leste – 145 km;
  • Passear por Punta Del Leste;

Quarto Dia

  • José Ignacio – 33 km;
  • visitar Farol;
  • Praia;
  • Parador La Huella;
  • La Barra;
  • Volta para Punta Del Leste – 33 km.

Quinto Dia

  • Passear em Punta Del Leste;
  • Monumento Los Dedos;
  • Praia;
  • Punta Ballena
  • Pôr do sol em Casa Pueblo.

Sexto Dia

  • Sai de Punta Del Leste para Montevideo – 135 km
  • Visitar Cidade Velha;
  • Pocitos;
  • Palácio Salvo;
  • Mercado Agrícola.

Sétimo Dia

  • Ir à Colonia do Sacramento – 180 km.

Oitavo Dia

  • Montevideo para Santa Maria 750 km.

Esta é a programação tentativa. Vou relatando o cumprimento e as alterações durante o caminho. Tentarei postar fotos e dicas online, conforme forem acontecendo vou postando no fim do dia.

Nos próximos posts vou atualizando sobre pedágios, câmbio, restaurantes, atrações e o que mais for interessante. Se você já fez essa road trip ou visitou esses lugares, não deixe de comentar com suas dicas. Toda dica é importante.

Nos vemos por ai…

Vinícola Velho Amâncio

O Rio Grande do Sul já é conhecido pelas suas vinícolas em meio às suas serras. São diversas vinícolas com produção artesanal de vinhos e tradicionais vindo de famílias gaúchas também tradicionais.

Se você é um apreciador de vinhos e estiver passando pelo interior do Rio Grande do Sul, mais especificamente em Santa Maria, não deixe de visitar a Vinícola Velho Amâncio bem pertinho do centro da cidade.

Chegar lá é muito simples e pode até ir de taxi, uma vez que não é longe. A aproximadamente 8km de distância da rodoviária e 20 minutos de deslocamento, a Vinícola Velho Amâncio pode ser considerada dentro da cidade, no entanto fica no alto de uma montanha.

Velho Amâncio vinícola

Não precisa agendar horário para realizar a visitação. Um ponto positivo é a atualização no horário de funcionamento. Procure no google antes de ir e lá constará o horário de funcionamento atualizado inclusive para feriados e isso evita desencontros e perda de tempo.

Sobre a Vinícola Velho Amâncio

A Vinícola Velho Amâncio é tradicional em Santa Maria no Rio Grande do Sul. Seus vinhos e espumantes são fabricados pela família com as uvas colhidas plantadas por eles mesmo no local.

Vinícolas Rio Grande do Sul

A história deles começa há mais de 100 anos quando Amâncio Pires chegou à Santa Maria. A produção de vinho começou em 1986 e em 1999 houve uma modernização e os vinhedos foram implantados aumentando a qualidade dos produtos fabricados por eles.

A visitação dura em torno de 40 minutos onde eles mostram os tonéis e as salas de armazenamento dos vinhos e espumantes. Não há custo para a visita e no fim pode-se degustar alguns vinhos. Aos sábados também há degustação de espumantes.

Vinicolas no Rio Grande do Sul Velho Amancio

Vinhos

A Vinícola Velho Amâncio tem capacidade de produzir 200 mil litros de bebida mas geralmente produz 50 mil por ano. São vários tipos de vinhos produzidos e vou reproduzir aqui informações direto deles sem edição.

A Vinícola elabora Vinhos Finos Varietais das variedades tintas Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot noir, Shiraz e Malbec e brancas Chardonnay e Sauvignon Blanc.

Produção de vinhos

Cabernet Sauvignon PERAU

Estrada do Perau

Seu rótulo, inspirado em antigos rótulos portugueses, é uma homenagem da Vinícola Velho Amâncio ao descendente de portugueses, Amâncio Pires de Arruda, fundador da região onde hoje situam-se os vinhedos da vinícola, de onde provêm as uvas deste vinho. O nome Perau refere-se a antiga estrada, ainda ativa, que liga Santa Maria ao norte do Estado.

Cabernet Sauvignon ESTAÇÃO 

Este vinho é uma homenagem à antiga Estação Ferroviária de Santa Maria, que teve importante papel na fundação e desenvolvimento da região onde a vinícola está inserida, seguindo nossa tradição de valorização regional.

Refere-se também à evocação aos antepassados portugueses da família dos fundadores da vinícola, pioneiros da região onde nos encontramos.  Vinho 100% Cabernet Sauvignon, com leve amadurecimento em barricas de carvalho francês.

Garganta do Diabo

Elaborado com corte de uvas Cabernet Sauvignon e Merlot, selecionadas desde o momento da colheita especialmente para a elaboração deste vinho. Após a vinificação, este vinho é envelhecido em barricas de carvalho francês e americano novas, por 10 meses. 

Elaborado em anos excepcionais, as garrafas são numeradas e a produção limitada a 1.500 garrafas. O nome refere-se ao antigo nome da ponte na BR 158, sobre o vale que corta a propriedade.

Espumantes

De igual maneira dos vinhos, os espumantes também são produzidos em variedades como Brut, moscatel, Demi-sec conforme a seguir:

Vivelam Tradicional

Estes espumantes são elaborados utilizando o método tradicional de fermentação na garrafa (Champenoise). Todo o processo é realizado artesanalmente na própria vinícola, desde a colheita da uva até o momento da rotulagem, garantindo assim a qualidade superior do produto. O método Champenoise foi desenvolvido na França, na região de Champagne, onde nasceu este vinho tão especial por suas bolhas e seu charme.

Foi o único método de elaboração disponível até o surgimento de práticas industriais que levaram ao método Charmat. Até hoje o método Champenoise é utilizado por ser o método que garante uma qualidade superior aos vinhos assim elaborados.

Vinhos e espumantes

Vivelam Celebration

Espumantes frescos e frutados, com ótimo equilíbrio entre açúcar e acidez, próprios para a celebração de momentos alegres e marcantes. VIVELAM CELEBRATION BRUT

É elaborado com uvas Chardonnay, resultando em um espumante com paladar estruturado e cremoso, com uma agradável sensação de frescor. Temperatura de consumo: 6 a 8ºCVIVELAM CELEBRATION MOSCATEL

Produzido com uvas da variedade Moscato, possui coloração límpida, aroma de frutas e flores brancas. Temperatura ideal para consumo: de 4 a 6ºC.

Veja também os vinhos produzidos na Ilha de Tenerife no Arquipélago Espanhol das Ilhas Canárias

Vivelam Unique

Estes espumantes únicos são elaborados utilizando o método tradicional de fermentação na garrafa (Champenoise). Todo o processo é realizado artesanalmente na própria vinícola, desde a colheita da uva até o momento da rotulagem, garantindo assim a qualidade superior do produto.

Elaborado a partir de uma cuidadosa seleção de vinhos base provenientes de uvas Chardonnay e Pinot Noir, com tempo de contato com as leveduras prolongado. Possui aromas complexos, acidez equilibrada, paladar estruturado e perlage fina, elegante e persistente.

Conclusão

Uma visita à Vinícola Velho Amâncio não dura mais que 3 horas e vale a pena passar por lá e ser bem recebido. Como há forte influência do militarismo na cidade com a Força Aérea e o Exército Brasileiro, você poderá ver várias fotos e certificados de amizades por lá. Seria um Military friendly.

Vinícola Velho Amâncio

Esta é mais uma simples dica do que fazer passeando pelo interior do Rio Grande do Sul.

Nos vemos por ai…